Notícias em Destaque



07/05/2018 - Incentivo do município, bom treinamento e dedicação dos atletas realçam esporte amador de Maringá


Todos os dias, durante o período da manhã, a advogada maringaense Mariana Merlin soluciona suas demandas diárias como funcionária conciliadora, concursada, do Juizado Especial de Pequenas Causas. Do meio-dia até as 13h30 ela frequenta a academia para manter a forma física sempre em dia, orientada pela preparadora Yara, e recebe acompanhamento diário de uma nutricionista. Às segundas, quartas e sextas-feiras, das 19h30 às 21h30, faz treino com bola no Ginásio Chico Neto, sob orientação do treinador Tião.
Entre as três audiências que participa, em média, por semana, a advogada Mariana encontra tempo e motivação para atuar, e bem, como armadora esquerda da seleção feminina maringaense de Handebol.
Da mesma forma, trabalho profissional conciliado com treinamento e boas performances como atleta são apresentados pela armadora central Caroline Duarte Costa, que já conquistou neste ano o título do Campeonato Pan-Americano defendendo a Seleção Brasileira de Handebol, classificando para o Mundial a ser disputado em julho na Hungria.
Carol é natural de Sarandi, tem 18 anos e desde 2016 treina e tem se destacado na Seleção Maringaense de Handebol Feminino.

Formação e aprimoramento
Assim como Mariana e Tábata, mais de uma centena de atletas, paratletas e técnicos esportivos maringaenses de base e de rendimento, da maioria das modalidades, exercem suas atividades profissionais de rotina e em horários especialmente reservados se dedicam a uma especialidade esportiva.
O fator em comum, entre eles, está o auxílio financeiro que recebem do Bolsa Atleta e Bolsa Técnico por meio do programa municipal de Incentivo ao Esporte Amador, coordenado pela Secretaria de Esportes e Lazer (Sesp).
Neste ano a Prefeitura de Maringá já iniciou o repasse de recursos superiores a R$ 4,7 milhões para 25 associações de modalidades conveniadas. 
“Nosso objetivo é consolidar a cidade como referência esportiva sustentável e nacionalmente reconhecida pela preparação de atletas desde a base ao alto rendimento, além da qualificação da gestão, melhoria e articulação das infraestruturas esportivas”, explica o prefeito Ulisses Maia.
Os valores repassados para cada atleta, técnico e associação variam de acordo com cada modalidade e os resultados obtidos por elas nas competições nacionais e internacionais em que representam o município.
De acordo com o secretário Valmir Fassina, o número de associações conveniadas com a Sesp para recebimento de benefícios do Programa de Incentivo ao Esporte vem aumentando a cada ano. “Em 2016, por exemplo, o valor do repasse foi de cerca de R$ 2 milhões para 10 associações. A partir de 2017, com a proposta da atual administração de ampliar os benefícios ano a ano, o repasse subiu para mais de R$ 2,7 milhões, atendendo a 20 associações de modalidades. Neste ano, os convênios assinados atingem o investimento de R$ 4,7 milhões, ou seja, quase mais que o dobro dos recursos destinados para o programa no ano passado, além do número de modalidades atendidas subir para 25”, assinala.

Consolidados e em ascensão
Os bons resultados apresentados por atletas e equipes de alto rendimento que recebem incentivo financeiro para representar Maringá em competições de nível estadual, nacional e até internacional confirmam que o apoio oferecido pelo Poder Público consolida o esporte amador do município como um dos mais bem estruturados do país.
Entre outros destaques individuais maringaenses nas competições de alto nível desponta a atleta Tábata, campeã brasileira interclubes e eleita a melhor atleta do Brasil na categoria juvenil de Atletismo.
A partir do auxílio do Bolsa Atleta, Tábata diz que sua carreira ganhou mais um importante impulso. Ela passou a integrar a seleção brasileira e se tornou campeã sul-americana no Equador, ganhou o 1º lugar no Mundial de Portugal - por equipes, entre os países de língua portuguesa - e conquistou o terceiro lugar no Troféu Brasil, a mais importante competição do atletismo brasileiro, que lhe garantiu participação nos Jogos Olímpicos Rio 2016.
Também atingem visibilidade nacional os atletas maringaenses Artur Diego (Vôlei de Praia), Beatriz (Vôlei) e Edney (Handebol masculino), além dos paratletas Alysson, Ademir e Mauro Santoro (Bocha Paralímpica), todos também incentivados pelo programa Bolsa Atleta.
Uma novidade neste ano entre as modalidades esportivas contempladas com o 

Paralímpicos
Outros esportes paralímpicos de Maringá brilham também nas competições que participam.
No mês passado, por exemplo, a seleção maringaense de Golball - uma modalidade paralímpica praticada por atletas com deficiência visual - conquistou em Florianópolis (SC) a taça de campeã da Etapa Regional Sul, que reuniu times do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.
Nas competições paralímpicas estaduais e nacionais a cidade participa também com as equipes de Bocha Paralímpica, Basquetebol em Cadeira de Rodas, Paraciclismo, Handebol feminino, Paracanoagem e Natação - representadas pela União Metropolitana Paradesportiva de Maringá (UMPM); Golfe 7 - representada pela Associação Maringaense de Autistas (AMA); Futebol e Voleibol Paralímpico - que tem como representante a equipe da Associação Maringaense dos Deficientes por Amputação (Assama); Goalball - pela Associação Maringaense de Amigos do Centro de Apoio Pedagógico à Pessoa com Deficiência Visual (Amacap); Xadrez - representado pelo Clube do Xadrez e com a equipe de Handebol masculino da Apae.
Exemplos de evolução e aperfeiçoamento no esporte são o goleiro Vandeir da Silva e o zagueiro Ademir Cruz de Almeida - da Assama - que foram convocados para a Seleção Brasileira de Futebol para Amputados e já treinam em São Paulo para a disputa da Copa Sulamericana, prevista para o final deste ano no México. 
Os paratletas Ricardo de Souza, Carlos Eduardo Rossi e Edvan Dias de Souza - da União Metropolitana Paradesportiva de Maringá (UMPM) - também são sempre destaques individuais no Atletismo, quando disputam as provas de Petra, uma bicicleta adaptada.
Também são notáveis as participações das nadadoras gêmeas Débora e Beatriz Borges Carneiro, nascidas em Maringá e campeãs mundiais como atletas finalistas olímpicas. Ambas têm 19 anos e são atletas da Associação de Pais e Atletas da Natação de Maringá (APAN) e União Metropolitana Paradesportiva de Maringá (UMPM).

Cumprimento das regras
Para reforçar ainda mais a proposta de incentivo aos atletas e equipes, a Secretaria de Esportes e Lazer realiza anualmente um chamamento público em busca de projetos elaborados por organizações da sociedade civil que visam a promoção e desenvolvimento do esporte na cidade.
Neste ano a Sesp recebeu propostas de 25 empresas para desenvolverem projetos de formação e alto rendimento de atletas e equipes nas competições esportivas.
“Os projetos apresentados passam agora por um processo de seleção para dividir os repasses anuais. Todas as modalidades disponíveis receberam propostas de projetos, incluindo o desenvolvimento do esporte paralímpico”, explica o diretor de Esportes da Sesp, Valdemar Silva - o “Dema”.
Todos os anos os dirigentes de associações esportivas conveniadas com a Sesp para o recebimento de benefícios do Programa de Incentivo ao Esporte Amador, também participam de reuniões instrutivas e de treinamentos para o cumprimento de todos os itens exigidos pelo Tribunal de Contas do Paraná referentes a correta prestação de contas sobre a utilização dos repasses financeiros.
Os procedimentos práticos para o preenchimento correto de formulários, guias, certidões e outros documentos fiscais são ministrados por técnicos da Diretoria de Contabilidade e Finanças da Secretaria Municipal de Fazenda (Sefaz) visando a correta prestação de contas para total obediência às normas estabelecidas pela lei federal 13.2014/2015, que regulamenta a lei 13.019/2014, que dispõe sobre os repasses financeiros destinados às associações.

        Potencial técnico
Para o secretário de Esportes e Lazer, Valmir Fassina, a estratégia do Programa de Incentivo ao Esporte Amador de Maringá é formar uma geração de alto potencial técnico para que atletas e equipes tenham todas as condições necessárias para se dedicar ao esporte e representar bem a cidade em torneios das mais diferentes modalidades esportivas. “Também é por meio do programa que as associações podem promover atividades saudáveis em dez centros esportivos da cidade para crianças e adolescentes”, diz.
A ação sempre tem revelado muitos atletas de ponta, que inclusive são chamados a representar as seleções do Paraná e do Brasil nas diversas competições de modalidades, especialmente o Vôlei de Praia, Ciclismo, Voleibol, Handebol e outros esportes.
“Outros novos desafios para consolidar esse empenho, garra e determinação dos atletas e equipes maringaenses vão acontecer ainda neste ano, aqui mesmo em Maringá, com a disputa de duas das mais respeitadas competições do esporte amador estadual e nacional. Para o mês de julho está confirmada a realização dos Jogos Universitários do Paraná. Já em novembro, Maringá vai sediar também os Jogos Universitários Brasileiros de 2018. A expectativa é que nossas equipes voltem a se destacar nessas competições”, conclui o secretário. (CP/PMM)
Mais informações: (44) 3220-5765 / 5770 / 3220-5775 (Sesp)


Outras Notícias