Atendimento ao Contribuinte Alvará Online ISS Eletrnico Licitações Concursos Edital qualificação de marcas Plano Decenal dos Direitos Humanos ÔNIBUS NOVOS HORÁRIOS Acesso Cidadão - Senha Web AUDIÊNCIA - ERA AVENIDA COLOMBO
Urbanismo
COMPARTILHE  
19 de Maio de 2017
Reduzir Fonte Aumentar Fonte
 
Comissão elabora minuta de nova lei de zoneamento da Colombo
 
Diretoria de Comunicação
 
Equipe de anlise  composta por vereadores, secretrios municipais, servidores tcnicos de secretarias, empresrios, proprietrios de imveis, imobiliaristas e representantes de moradores e da Acim Clique para ampliar a foto
Equipe de anlise composta por vereadores, secretrios municipais, servidores tcnicos de secretarias, empresrios, proprietrios de imveis, imobiliaristas e representantes de moradores e da Acim
Foto: Marcio Naka / PMM
Clique para ampliar a foto
Mapa de zoneamento da rea com resultados de estudos da Seplan foi apresentado pelo secretrio Celso Saito
Foto: Marcio Naka / PMM
 
Em reunião realizada na manhã desta sexta, 19, no Paço Municipal, a Comissão de Estudo da Avenida Colombo debateu parâmetros urbanísticos e critérios de uso e ocupação do solo para promover alterações no Plano Diretor que regulamenta a atual lei de zoneamento da via.
Coordenada pelo secretário municipal de Planejamento e Urbanismo, Celso Saito, a reunião serviu de ponto de partida para a elaboração do pré-projeto que proporá ajustes na lei atual ou a minuta de uma nova lei para estabelecer normas de implantação das edificações nos lotes e sua relação com o entorno.
A aprovação de uma nova legislação para o local revogará a chamada Lei do Boulevard, que tem base na Lei Complementar nº 888, de 29 de julho de 2001, cuja regulamentação do uso e ocupação do solo ocorre atualmente por meio da Lei Complementar nº 914, de 27 de maio de 2013.
A mudança na legislação é solicitada por moradores, comerciantes e imobiliaristas que atuam no trecho da avenida compreendido entre a Avenida Tuiuti e a Rua Arlindo Planas.
Lei mais flexível 
Entre os aspectos urbanísticos e critérios de zoneamento da área analisados por equipes técnicas das secretarias de Planejamento e Urbanismo e de Obras Públicas que poderão motivar alterações no Plano Diretor estão a área de recuo - hoje estabelecida em 5 metros de frente para o eixo e 2,5m nas vias transversais; alinhamento predial e área permeável de 20 por cento.
Os impactos da lei atual prejudicam comerciantes, moradores e a Prefeitura. É preciso acompanhar a dinâmica de crescimento e promover um processo gradual de adequação a uma nova lei que possa integrar a Colombo à cidade, fazendo com que ela deixe de ser um fator de segregação entre as regiões norte e sul, explicou Saito, ao analisar o mapa de zoneamento da área. Segundo o secretário, a partir das discussões para mudanças técnicas, as novas normas de ocupação apontadas para o eixo comercial serão apreciadas pelo Conselho Municipal de Planejamento e Gestão Territorial (CMPGT) e pela Procuradoria-Geral do Município (Proge) para, posteriormente, serem levadas para audiência pública e, finalmente, o projeto ser votado na Câmara Municipal.
Toda a tabela de parâmetros urbanísticos de uso e ocupação do solo deverá obedecer as regras estabelecidas pelo IBGE, por meio do Cadastro Nacional de Atividade Econômica (CNAE).
Presente à reunião, o vereador Mário Verri prevê um período de, no máximo, 30 dias para que o texto do projeto de lei do Executivo seja definido para ser votado.
A equipe de análise das mudanças na lei é composta também pelos vereadores Paulo Rogério do Carmo e Belino Bravin Filho, além de secretários e servidores técnicos das pastas de Planejamento e Urbanismo (Seplan), Obras Públicas (Semop), Inovação e Desenvolvimento Econômico (Seide), Fazenda (Sefaz), de   Gestão (Sege) e da Procuradoria-Geral do Município (Proge). Na comissão de estudo estão incluídos também representantes dos empresários, proprietários de imóveis, moradores, imobiliaristas da via e da Associação Comercial e Empresarial de Maringá (Acim).
Ampliação de atividades
Na reunião anterior, realizada no final do mês passado, a equipe técnica apresentou a quantidade de propriedades identificadas no trecho e quantas estão inativas. Na ocasião foi aprovado e ampliado de 42 para 597 o número de atividades comerciais e de prestação de serviços no trajeto da via. 
Ao todo são 390 lotes, sendo desse total 21 vazios sem edificação e 52 com edificação sem ocupação. Somando os dois últimos quantitativos, chega-se ao porcentual de 19% de lotes desocupados. 
Na primeira reunião da comissão, realizada no dia 29 de março, foi debatida a limitação de segmentos no relacionado Eixo Residencial A (ERA). A discussão girou em torno da redução do potencial de abertura de negócios no trecho somente para 42 atividades de comércio e serviços.
Na próxima segunda-feira, 22, o secretário Celso Saito estará na Câmara Municipal para explicar aos demais vereadores os itens prioritários nas mudanças que constarão no texto da nova lei. A iniciativa visa evitar a apresentação de emendas ao projeto, alterando as definições da comissão. 
Uma nova reunião da comissão de estudos ficou de ser marcada para os próximos dias. (CP)
Mais informações: (44) 3221-1429 (Seide) / 3221-1210 (Seplan) 


 
 Outras Notícias
 
» ′Bosque da Amizade′ recebe 400 novas mudas; prefeito planta ipê roxo
» ′Bosque da Amizade′ recebe 400 novas mudas; prefeito planta ipê roxo
» ′Bota Fora′ no Jardim Universo combate dengue e escorpião amarelo
»  Busca pela classificação do Handebol Feminino marca agenda esportiva do fim de semana
» Semob inicia vistoria de mototáxi e motofretes
» ′Bota Fora′ mira mosquito da dengue e escorpião amarelo
 
+ Notícias
 

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE MARINGÁ

Av. XV de Novembro, 701 - Centro

Maringá - Paraná - Brasil - Cep: 87013-230

Fone: (44) 3221.1234

Registro Ponto do Servidor