Atendimento ao Contribuinte Alvará Online ISS Eletrnico Licitações Concursos Edital qualificação de marcas Plano Decenal dos Direitos Humanos ÔNIBUS NOVOS HORÁRIOS Acesso Cidadão - Senha Web AUDIÊNCIA - ERA AVENIDA COLOMBO
CONTROLE
COMPARTILHE  
14 de Novembro de 2017
Reduzir Fonte Aumentar Fonte
 
Saúde recolhe armadilhas (ovitrampas) de residências
 
Diretoria de Comunicação
 
O objetivo da pesquisa  intensificar as aes de combate ao Aedes, com o intuito de reduzir os ndices de infestao. Clique para ampliar a foto
O objetivo da pesquisa intensificar as aes de combate ao Aedes, com o intuito de reduzir os ndices de infestao.
Foto: Cary Bertazzoni/PMM
Clique para ampliar a foto
As ovitrampas servem para capturar ovos, sinalizar a quantidade de insetos em uma regio e direcionar aes contra a proliferao do vetor.
Foto: Cary Bertazzoni/PMM
Clique para ampliar a foto
Paletas recolhidas, que sero encaminhadas para secagem e contagem dos ovos, no laboratrio de entomologia da Secretaria do Estado do Paran.
Foto: Cary Bertazzoni/PMM
Clique para ampliar a foto
Ovitrampa recolhida em residncia, no Jardim Alvorada.
Foto: Cary Bertazzoni/PMM
Após sete dias instaladas, as armadilhas (ovitrampas) foram retiradas das residências, nesta terça, 14, pelos agentes do controle da dengue e equipes do Centro de Zoonozes. As paletas recolhidas serão encaminhadas para secagem e contagem dos ovos, no laboratório de entomologia da Secretaria do Estado do Paraná. Na semana passada, os profissionais do controle da dengue instalaram 200 armadilhas entre os 4.968 quarteirões do município. 

A armadilha (ovitrampa) é feita com um vaso de planta (não furado), onde são inseridos 300 milímetros de água, com uma paleta (pedaço de madeira) que faz a identificação da armadilha. Também é inserido clipe de metal (segura a paleta no vaso) e levedo de cerveja. As ovitrampas servem para capturar ovos, sinalizar a quantidade de insetos em uma região e direcionar ações contra a proliferação do vetor. Além de Maringá, Paranavaí, Foz do Iguaçu, Londrina e Francisco Beltrão estão fazendo parte da pesquisa do Sesa.

Moradora do Jardim Alvorada, Marli Ambrosi, foi uma das 20 pessoas que cederam a residência para a instalação da armadilha. Achei muito interessante a iniciativa e acredito que o estudo deve colaborar, sim, para a diminuição dos focos do mosquito da dengue, explicou. De janeiro até setembro, foram notificados 88 casos, sendo sete positivos. Segundo a Secretaria de Saúde, os bairros que contemplaram o maior índice de infestação, ou seja, áreas de alto risco de infestação foram a Vila Morangueira, Morangueira Ampliação e Jardim Alvorada, cujo o índice atingiu 3,8%.

Nos próximos dias, a Sesa deve liberar os resultados sobre a quantidade de ovos encontrada em cada paleta. O objetivo da pesquisa é intensificar as ações de combate ao Aedes, com o intuito de reduzir os índices de infestação. A ação é coordenada pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e aplicado pela Secretaria do Estado do Paraná (SESA).

Mais informações na Gerência de Zoonoses pelo telefone 44-3218-3183
 
 Outras Notícias
 
»  Secretaria de Esportes promove 4º Encontro do Projeto Pilates
» Pronatec oferece 72 cursos à distância
»  Jogos Abertos, Skate e Softbol Feminino são atrações neste final de semana
» Semob e Sest Senat promovem blitz em memória das vítimas de trânsito
» Vice-prefeito recebe alunos de escola municipal e participa de plantio de mudas
» Estação Verão abre inscrições para mais uma modalidade
 
+ Notícias
 

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE MARINGÁ

Av. XV de Novembro, 701 - Centro

Maringá - Paraná - Brasil - Cep: 87013-230

Fone: (44) 3221.1234