• Bosque 2
  • Catedral - Vista noturna
  • Maringá - Vista Aérie
Bosque 2 Catedral - Vista noturna Maringá - Vista Aérie
Atendimento ao Contribuinte Alvará Online ISS Eletrônico Cidade Industrial Agiliza Obras FIA e-Atende Fiscalização 1ª Festa Literária de Maringá
LEGISLAÇÃO URBANA
COMPARTILHE  
14 de Dezembro de 2007
Reduzir Fonte Aumentar Fonte
 
Prefeitura notifica donos de imóveis sem calçadas ou muros
 
Assessoria de Comunicação - Carlos Pedroso
 
A preferência é que sejam implantadas novas calçadas ecológicas Clique para ampliar a foto
A preferência é que sejam implantadas novas calçadas ecológicas
- Foto: Ricardo Lopes/PMM

     A Prefeitura de Maringá, por meio do setor da Secretaria de Desenvolvimento Urbano, Planejamento e Habitação (Seduh), está notificando donos de imóveis que estejam sem o calçamento ou com padronização irregular para se adequarem às normas estabelecidas pela legislação urbana.
     As notificações preliminares valem também para proprietários de terrenos vazios e frontais a vias pavimentadas para que providenciem a construção de muros de vedação no prazo de 30 dias após o recebimento da notificação.
     De acordo com dispositivos das leis municipais 335/99 e 413/2001, em ambos os casos, o não cumprimento das determinações dentro do prazo especificado estará sujeito a penalidades com pagamento de multa no valor de R$ 404,00.
     “Por enquanto nossa intenção não é multar e sim orientar os proprietários para a necessidade de regularizar a situação. Mas, diante da reclamação de contribuintes e da desobediência de prazos que vem sendo seguidamente prorrogados, já é possível estudar a hipótese de cumprir a aplicação das leis específicas e autuar com multa os infratores, especialmente os donos dos imóveis lindeiros que requerem providências mais urgentes”, analisa a gerente  de fiscalização da Seduh, Maria Terezinha Carniatto.
     No caso da necessidade de construção do muro de vedação em terrenos vazios, a lei determina que a obra deve ter altura mínima de um metro. “Porém, a Prefeitura de Maringá está sendo tolerante com a construção de muretas em torno de 60 a 70 centímetros em toda a testada, dependendo do nível do terreno. Pelo menos as muretas já ajudam a evitar a movimentação de terra para o meio da rua e risco de acidentes para os transeuntes”, afirma Maria Terezinha.

Calçadas
     Quanto à reforma de calçadas na frente de residências ou estabelecimentos comerciais a legislação determina a substituição total do revestimento quando o estado crítico do pavimento comprometer mais de 50 por cento da área. Nesse caso, a reforma deve ser feita seguindo o padrão original ou, de preferência, adaptando a nova calçada ao padrão estabelecido pela Lei 335/99, elaborada pela Câmara Municipal.
     De acordo com as medidas previstas na lei, a calçada ecológica de 3 metros de largura deve conter 60 centímetros de concreto (ou ladrilho hidráulico) a partir do meio-fio, 90 centímetros de área permeável - com plantio de grama ou outra vegetação rasteira - e mais 1 metro e meio de concreto ou ladrilho hidráulico até o muro do terreno ou parede do comércio.
     Nas calçadas com mais de 3 metros, o proprietário do imóvel deve fazer 60 centímetros de concreto ou revestimento cerâmico anti-derrapante a partir do meio-fio, conservar 1 metro e 20 centímetros de área permeável (com plantio de grama ou outra vegetação rasteira), em seguida concretar ou revestir mais 1 metro e meio de calçada, e, na seqüência, preservar área permeável com metragem variável ou dar continuidade à calçada pavimentada até o muro do terreno ou parede do comércio.

Permeabilidade
     De acordo com a Lei Complementar 335/99, as calçadas ecológicas são obrigatórias nos bairros localizados em eixos residenciais e facultativas nos eixos comerciais, especialmente no quadrilátero central da cidade. A exigência nesse caso é que seja respeitada a área de 2,40m X 1,20m para permeabilização das raízes de árvores plantadas na área da calçada (Lei Complementar 666/2007).
     A lei das calçadas ecológicas também estabelece que o acesso para veículos, nas casas e no comércio, deve ter 3 metros de largura. O acesso de pedestres deve medir 1 metro e 20 centímetros. A lei prevê ainda que nas esquinas em que as calçadas ainda não foram executadas devem ser construídas duas rampas transversais, com 1,20m de largura, para o acesso de portadores de deficiência física.   
     Todas essas medidas estão contidas em folhetos explicativos que se encontram à disposição dos empreendedores na Gerência de Fiscalização da Seduh, no 3º andar do Paço Municipal.

Serviço____________________________________________________________
     Informações: 3221-1425 / 3221-1208 (Gerência de Fiscalização / Seduh).

 
 Outras Notícias
 
» Prefeitura entrega reforma do Centro Municipal de Educação Infantil Florestan Fernandes
» Baile da Terceira Idade diverte moradores do Jardim Alvorada
» Programação do PROCON para esta Segunda-Feira (15)
» Escola Profissionalizante Laura Rebouças promove café da manhã para os idosos
» Cultura e Sesi promovem bate-papo com ator Eduardo Giacomini
» Handebol maringaense vence estadual sub-18
 
+ Notícias
 

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE MARINGÁ

Av. XV de Novembro, 701 - Centro

Maringá - Paraná - Brasil - Cep: 87013-230

Fone: (44) 3221.1234

Registro Ponto do Servidor