Prefeitura do Município de Maringá

Projeto de Mobilidade das avenidas Morangueira e Kakogawa vai beneficiar mais de 35 mil pessoas diariamente

Secretaria de Comunicação

23 de março de 2016

    O prefeito Roberto Pupin assinou nesta quarta-feira (23) a ordem de serviço do Programa Pró-Transporte para as obras de mobilidade urbana nas avenidas Morangueira e Kakogawa. O projeto é um convênio da Prefeitura com a Caixa Econômica Federal, por meio do processo 0411363.86/2014, que prevê um investimento de aproximadamente R$ 20 milhões. Esses recursos serão aplicados na criação dos corredores exclusivos, estações de transbordo, revitalização completa e ampliação das galerias pluviais.


    Participaram da solenidade o vice-prefeito, Claudio Ferdinandi, o secretário de Planejamento e Urbanismo, Laercio Barbão, o secretário de Obras Públicas, Adolfo Cochia Junior, o presidente da Câmara, Chico Caiana, os vereadores Da Silva, Luiz Pereira e tenente Edson, o superintendente da Caixa Econômica Federal, Roberto Luiz Bachman, o gerente Regional da Caixa Econômica Federal, Jair Bertocco, o administrador executivo da TCCC, Roberto Jacomeli, demais secretários municipais e autoridades.


    Das construtoras que executarão o projeto participaram o representante do Consórcio Contersolo Weiller, Davi Oliveti, os engenheiros Eduardo Oliveti, João Weiller e Marcelo Weiller, e da Extracom, o administrador Carlos Domingos Salgueiro Borges.


   Antes da assinatura da Ordem de Serviço, o secretário Laércio Barbão fez uma apresentação do projeto de mobilidade nas avenidas Morangueira e Kakogawa. “Este é um trabalho desenvolvido pelas Secretarias de Planejamento, Obras Públicas, Setrans e Serviços Públicos. Agradecemos o prefeito Roberto Pupin pela confiança depositada em nós para a realização deste projeto. Há muito trabalho a se fazer nessas avenidas, mas acredito que até o final do ano a obra seja concluída”. Barbão explicou que futuramente, a faixa exclusiva de ônibus poderá ser utilizada para a implantação de outro modelo de transporte, por exemplo o veículo leve sobre trilho (VLT).


    O secretário de Obras Públicas, Adolfo Cochia, também falou sobre o plano de mobilidade urbana, apresentando detalhes da obra. “Na Morangueira serão 35.900 metros quadrados de pavimentação e 182 metros cúbicos de concreto aplicado nas estações. Nessa avenida vamos precisar remodelar o sistema de drenagem o que vai dar 2.248 metros lineares. Na Kakogawa serão 17.000 metros quadrados de asfalto, 182 metros cúbicos de concreto aplicado e a drenagem contabiliza 747 metros lineares”.


    O presidente da Câmara, Chico Caiana, falou da importância da obra para os moradores e trabalhadores da região. “É um prazer acompanhar a assinatura da ordem de serviço de mais uma obra de mobilidade urbana da Prefeitura. Parabenizo os envolvidos pelo projeto magnífico que trará grandes benefícios à comunidade da região”.


    O superintendente da Caixa Econômica Federal, Roberto Luiz Bachman, falou sobre a parceria da Prefeitura com a Caixa, por meio do PAC2-Mobilidade, sendo R$ 63 milhões do PAC 2 com contrapartida de R$ 15 milhões da Prefeitura para a construção dos corredores de ônibus nas avenidas e do Terminal Intermodal. “É uma honra participar desse projeto de mobilidade que beneficia tantas pessoas. Tenho certeza que essa obra será o legado da administração do Pupin”.


    O prefeito Roberto Pupin agradeceu o empenho de toda a equipe que se dedicou na concretização do projeto de mobilidade urbana. “Essa é uma obra grande e que trará alguns transtornos nos dias de serviço e por isso pedimos a paciência da população nesse momento. Antes de dar início nesse plano de mobilidade melhoramos outros trechos próximos para que sirvam de caminho alternativo. Fizemos a abertura do Contorno da UEM, da avenida Itororó, conclusão da avenida Franklin Dellano Roosevelt, implantação de ciclovia e ciclofaixa, entre outras melhorias para que a população possa usar esses trechos até que a Morangueira e a Kakogawa estejam prontas”.


    Pupin lembrou que a obra trará benefícios principalmente para os mais de 35 mil habitantes que trafegam pelo local diariamente. “Teremos três estações de transbordo e 16 pontos de integração ao longo do trecho. Com o corredor exclusivo, estima-se a redução de 12 a 15 minutos nos tempos das viagens mais longas até o terminal, o que representa um terço do atual tempo de deslocamento, sendo possível oferecer uma terceira viagem utilizando a mesma frota”. O prefeito também lembrou que o projeto trará mais conforto e segurança tanto aos pedestres, como motoristas.


Mobilidade


    As intervenções na Morangueira e Kakogawa contemplam as estações de transbordo em três rotatórias ao longo dessas avenidas e a revitalização completa, criando corredores exclusivos para ônibus.
    Na avenida Morangueira será feita uma intervenção maior, com nova drenagem de águas pluviais, para sanar os constantes problemas de alagamento na região. O convênio também prevê a pavimentação completa das duas avenidas.
     As obras dos projetos da Avenida Kakogawa serão custeadas pela Prefeitura e as da Avenida Morangueira, com recursos do PAC 2-Mobilidade, do Governo Federal.


Estações de Transbordo
    Nas praças Ouro Preto, Emílio Fajardo Espejo e Megumu Tanaka serão construídas Estações de Transbordo para o transporte coletivo e servirão como local de coleta e distribuição dos usuários, através das linhas coletoras de bairro. As linhas coletoras terão, no máximo, 2 mil metros de extensão.
     O projeto também prevê a utilização de ônibus articulados, com maior capacidade. Entre as Estações de Transbordo serão instalados 16 Pontos de Integração, sendo 8 em cada sentido de direção.
     Na Avenida Colombo, no trecho entre a Avenida Duque de Caxias e Avenida Morangueira, as faixas internas passarão a ser exclusivas para os ônibus.


Benefícios
     Com os corredores exclusivos, os horários poderão ser cumpridos, gerando maior credibilidade para os usuários, mais conforto, menos tempo de permanência dentro dos ônibus e, consequentemente, mais qualidade de vida.
     Outro ponto positivo será para os demais veículos, já que esta opção vai retirar os ônibus do conflito com os automóveis, junto ao tráfego comum, resolvendo também, uma questão de Mobilidade Urbana.

Outras Notícias