Prefeitura do Município de Maringá

Semusp e Oscip fazem transição do Parque do Japão

Diretoria de Comunicação

01 de novembro de 2017


Diretores da Secretaria de Serviços Públicos (Semusp) estiveram reunidos nesta quarta, 1º, com representantes da Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip) do Parque do Japão para a transição da administração do parque.
A partir da próxima segunda, 6, a Prefeitura assumirá a gestão até então realizada pela Oscip que enfrentava dificuldades financeiras em manter o parque. A entidade contava com recursos municipais que não eram suficientes e principalmente com a dedicação e esforço de voluntários.
A diretora Maria Lígia Guedes destacou que a intenção era a de aumentar o valor do repasse à Oscip, mas como o contrato não abre a possibilidade, a Prefeitura administrará da melhor forma o parque. 
“Sei do carinho e a preocupação que a colônia tem com esse parque. O principal objetivo é o da preservação desse espaço, respeitando todas as suas peculiaridades”, acrescentou.
Um dos principais representantes da colônia, João Noma, agradeceu o empenho da administração em resolver o problema, lembrando que a principal preocupação é a preservação das características do parque que será administrado pela Semusp.
Para a preservação arquitetônica e paisagística do local, a administração criará um conselho consultivo que auxiliará as intervenções no parque. O conselho contará com integrantes indicados pela colônia japonesa.
Atuando como gerente do Parque do Japão por diversos anos, Meire Cristina Yoshii Fugou, destacou que o prefeito entendeu a dificuldade da comunidade que mantinha o parque. “Ele ′vestiu a camisa′ e mostrou que é parceiro nessa causa, reconhecendo a nossa luta em cuidar desse espaço. O parque não é da colônia mas de todos os maringaenses”, afirmou.
Meire Cristina sugeriu que a administração contrate especialistas para cuidar do parque. “Temos mais de 70 carpas, inclusive as azuis que são raras, pinheiros negros com mais de 80 anos e variedades de carvalho que requerem cuidados especiais”, explicou. 
O parque que já recebeu o príncipe herdeiro Naruhito em 2008, tem uma área total de 100 mil metros quadrados e foi construído com recursos dos governos Federal, Estadual, Municipal e da iniciativa privada. Mesmo com a mudança da gestão, a visitação será gratuita.

Outras Notícias